July 17, 2011

Homossexual ou Heterossexual?



Todos nós precisamos nos encontrar primeiro, pois mascarar ou querer fugir do problema não adiantaria, e causaria tristeza para mais de uma pessoa num futuro não muito distante.

O conselho constante da Igreja para que os garotos não tenham relacionamentos sérios com garotas antes da missão, e por isso eles passam grande parte do tempo sempre na companhia de outros rapazes, e depois ainda vão para missão, e ficam mais 2 anos sempre com rapazes e ainda mais próximos deles, pode ocasionar, como já vi às centenas, sentimentos confusos em relação a outros do mesmo sexo, mas que não são parte da homossexualidade.

De uma certa forma eu gosto dessa cultura de 'dates' existente aqui nos EUA. Há muitas atividades saudáveis (o que falta em alguns lugares do Brasil) onde rapazes e moças se divertem juntos. Sou à favor de que moças e rapazes saibam se relacionar uns com os outros, e aconselho a convivência, como amigos e atividades em conjunto.

Mas também vejo líderes, e até pais e mães (aqui e no Brasil), que tiram seus filhos da convivência normal de outros com medo da quebra da lei da castidade. Confiar é a melhor prova de amor que podemos dar aos nossos filhos, e se isso acontecer, acontecerá com uma garota ou um rapaz. Eu recebo os amigos de meu filho aqui em casa todo o tempo, rapazes e moças.

Quando digo que sentimentos vários vêm aos jovens que passam muito tempo juntos com amigos do mesmo sexo e que não significam que eles são homossexuais, refiro-me justamente àqueles que experimentam certos relacionamentos e entram em dúvida se são ou não.

Numa sociedade onde o culto ao corpo e a arte da conquista gira em torno da carne como a nossa, existem milhares de jovens tendo relações bissexuais tentando justamente se encontrar. Quem não tem religião, ou se rebela contra a que tem, vai querer fazer parte de um grupo e ser aceito por ele.

Nesse meio, a apologia à homossexualidade acaba levando muitos jovens que não são homossexuais. Isso existe e muito. Há uma linha muito tênue entre os que realmente são e os que tiveram fases onde tiveram algumas relações, mas, mais tarde se encontraram realmente.

Eu tenho amigos próximos que tiveram algumas relações homossexuais e mais tarde encontraram-se, casaram-se e tiveram filhos e vivem bem assim, e não estão se enganando. Também conheço vários que tentaram, mas não conseguiram, pois se encontraram verdadeiramente homossexuais. Conheço outros que ainda não se encontraram, e estão buscando. E este é o meu conselho ainda, 'procure se encontrar'. O autoconhecimento e a fidelidade em se ser o que realmente se é, é o que garante uma vida sem hipocrisia.

Seguir um grupo e adotar suas práticas, 'peitar o mundo', lutar por direitos, combater os que pensam contrário, não vai fazer ninguém feliz se não houver autoconhecimento e honestidade consigo mesmo.

Tenho um amigo que quando bem jovem, sua mãe me ligou um dia às 2 da manhã (eu era presidente da soc soc dela) desesperada, para ir tirá-lo de uma boate gay. Chegamos lá (eu pedi ajuda), ele estava quase em overdose, havia feito sexo grupal e estava machucado mesmo. Tivemos que carregá-lo para o hospital. Hoje, mais de 10 anos depois, ele está casado e tem 3 filhas lindas, é um grande pai e marido, e me agradece (embora quase me matou na época ) pois é feliz com a escolha que fez.

Há outros que se encontraram verdadeiramente, e são honestos consigo mesmos, e vivem suas vidas de maneira normal. Há alguns que se encontraram como heterossexuais, outros como homossexuais. Não importa. Ninguém vai entender o íntimo de ninguém melhor que Jesus Cristo, por isso, nessa busca, o relacionamento com Ele deve estar muito claro. Sem Ele, não garanto nada.

Quem tem ou já teve uma relação, seja afetiva ou física com alguém do mesmo sexo, o que é muito normal hoje em dia, principalmente se a pessoa não tem religião ou conceitos morais ensinados, não significa que a pessoa é homossexual. Abraçar um estilo de vida porque a apologia à ele diz que você é se simplesmente você acha alguém do mesmo sexo bonitinho, é entregar o poder de simplesmente SER na mão de outra pessoa, que não Jesus Cristo.

Gênero é algo nos dado por nosso Pai Celestial. Nascemos com alguns órgãos externos que nos ajudam a reconhecê-lo. Quem tem esse dilema de vida, precisa conseguir se livrar totalmente da apologia existente no mundo, e num momento de introspecção, pendurar-se literalmente no pescoço de nosso Salvador para que Ele lhe ajude a se encontrar.

Uma vez se encontrando, nenhuma apologia precisa ser aceita ou feita para que se sinta aceito. O sentimento de que o Salvador o conhece é suficiente.

Eu não acredito que todos precisem ter aventuras amorosas ou mesmo sexuais com ambos os sexos para se 'encontrarem'. A maioria, e quando digo maioria, digo de jovens e pessoas adultas, inclusive casadas, das pessoas que não foram criadas com uma religião constante, como a Igreja de Jesus Cristo, possuem relações sexuais com ambos os sexos.

Eu poderia contar de vários casos que conheço de jovens de 13 a 19 anos que tem relações sexuais com homens e mulheres, de casais casados que conhecem outros casais casados (e a maioria de classe alta), e saem juntos, e tanto homens quanto mulheres se relacionam nesses encontros sexualmente, mas não vou entrar nos detalhes porque nem precisa.

Quando eu fiz faculdade de Psicologia, eu tinha vários professores e amigos homossexuais. Eu os respeitava, e vice versa. Muitos amigos e amigas porém entraram nessa onda de terem relações homossexuais porque era a moda na época, todo mundo queria ser 'descolado' e entrar no grupo, pois se admiravam, e altas orgias aconteciam. Hoje muitos se casaram e não querem lembrar daquela época, e não sou eu que o farei. Alguns permaneceram e são felizes assim. Tenho amigos desta época que sabem da minha posição e inclusive da posição da Igreja, e felizmente não entram na onda de outros que avacalham com a Igreja e a chamam de homofóbica somente por causa de sua posição na Prop. 8 por exemplo. Eles entendem que, se caso quiserem seguir os mandamentos de Deus, farão como Paulo ensinou, 'permanecei castos e sozinhos'. A maioria porém opta por estar fora da Igreja e permanecer na roda de amigos como eles mesmos, por não encontrar apoio.

Sobre o famoso 'kit gay, anti-homofobia' como alguns chamam, eu acredito que o que precisaria é uma educação contra o 'bullying' em geral, para que haja respeito entre todos, seja eles o que forem. Os vídeos mostrados antes porém, não ensinavam somente isso, e muitos outros princípios estavam embutidos nesse material. O ideal seria ensinar o respeito e o anti-bullying em relação ao diferente, pois todos os outros problemas ainda existem.

Se o respeito for ensinado a todos, cada um terá a liberdade de ser o que se é (nem sempre o que se quer) e haverá respeito das duas partes em relação a si próprios e ao outro. Preconceito é algo que todos temos e em algum momento de nossas vidas, quando passamos a conhecer melhor o objeto/sujeito de nosso pré-conceito, desenvolvemos maior tolerância.

Pessoas são diferentes. Alguns se expressam melhor, têm mais paixão quando defendem um ponto de vista, têm personalidades que lideram outras com mais facilidade. Outros sentem mais profundamente, não conseguem expressar o que realmente sentem, e acabam repetindo chavões, ou acabam se sentindo mal compreendidos. Uns sofrem muito com o que outras pessoas fazem ou dizem. Outros não conseguem ver que suas palavras nem sempre são entendidas como gostariam. Alguns não necessitam se sentir queridos e legais e ter suas opiniões aceitas e seguidas pela maioria. Outros preferem se calar mas acabam elegendo um lado.

Isso tudo é o que acontece na internet. Não conhecemos uns aos outros, acabamos tirando conclusões por aquilo que pessoas escrevem nessas linhas em debates. Se tivéssemos a oportunidade de todos conversarmos frente à frente, muitos mal entendidos não ocorreriam.

Enfim, que tentemos nos espelhar em Cristo em nossas trocas de informação e opinião, até porque, se Ele nos colocou aqui, todos juntos, foi para aprendermos algo sobre nós mesmos, e desenvolvermos o que precisamos para sermos como Ele é.

E o que eu posso fazer caso alguém muito próximo se assuma ‘homossexual’?

Continue gostando da pessoa como antes, continue sendo amiga como antes. Muitas vezes estas coisas acontecem perto de nós para que possamos aprender a desenvolver tolerância e verdadeiro amor cristão, pois nos lembramos que Jesus Cristo amava o pecador e não o pecado.

Homossexuais na Igreja, e principalmente heterossexuais, devem saber que a lei do Evangelho vale para todos, ou seja, lei da castidade vale tanto para heteros quanto para homos ou bis. Caso ele queira praticar sua homossexualidade, aí ele deve estar consciente de que deve ser responsável por suas escolhas, assim como qualquer heterossexual também é.

A visão da Igreja hoje é conforme vemos no panfleto Deus ama seus filhos, conforme eu falei neste post:

http://chrisologycode.blogspot.com/2010/07/panfleto-deus-ama-seus-filhos.html


2 comments:

Eliude Santos said...

Fazia um tempo que eu não entrava no seu blog e acabei lendo esse texto incrível e claro sobre a natureza do ser humano. Somos todos criancinhas, experimentando e descobrindo coisas, pensamentos, sentimentos, o tempo todo e só quem é consciente de si mesmo e do outro tira bom proveito dessas experiências... Beijo grande! Ótimo texto!

Chris Ayres said...

Nossa... pois é, muitos anos atrás, quando eu comecei a evoluir, porque também tive minhas fases inferiores, né? Amo você, meu querido, obrigada por comentar.