October 05, 2010

Israel - 2ª parte ( A História não contada pela mídia)






O Holocausto aconteceu, contrariando alguns que querem fazer acreditar que não. Não foram somente judeus que foram dizimados, mas ciganos, outras religiões.

Os judeus não perceberam que o sionismo era um movimento indispensável e sobrenaturalmente previsto nas profecias. Se houvessem escutado Theodor Herzl no final do sec XVII não teriam sido mnortos tantos na decada de 40.

E considerando a profecia de Zacarias 12 onde descreve Israel como PEDRA PESADA e CALICE DE TONTEAR... acho dificil que suas pelavras tenham sustento bíblico/profético. A midia (e Satanas) faz com que todo o mundo odeie Israel. Veja o caso das fotos manipuladas pela agência Reuters:


Aqui um link sobre a manipulação que a Midia faz:


(aumente o volume).


E precisa-se ter coragem para admitir a aliança e verdade sobre Russia e Irã, e o governo do HAMAS sobre os palestinos, que o suportam.


A maior parte da midia, tanto nos EUA ou em qualquer lugar esta CONTRA Israel. É a independente mesmo que salva e é imparcial.

Até pró-Hezbollah confessos como David Miller, colaborador regular do Media Lens e conhecido crítico de Israel, afirma que a mídia está cada vez mais tendenciosa na cobertura do conflito no Oriente Médio. "Se dependermos apenas na grande mídia, não entenderemos o que está acontecendo", disse, em artigo ao Socialist Worker Online. "Trata-se de uma dieta de mentiras não-diluídas (...). A tendenciosidade não costumava ser assim escancarada."

Falando em holocausto, é interessante lembrar que Hitler chamava de terroristas os franceses e italianos que resistiam à ocupação nazista e lutavam por seus direitos reavendo as terras onde seu povo se encontrava, como no caso do avanco de Israel a Cisjordania.

Israel não invadiu Cisjordania por esporte. Israel não se manteve na Cisjordania por esporte idem. A estratégia de negociar devolução de terras por paz foi eficaz e funcionou como elemento de pressão para forçar o mundo árabe a rever suas posições de intransigência para lidar com Israel. Funcionou em boa parte, falhou no caso de Gaza e Cisjordania que ficaram mais de 30 anos sob controle israelense. Não se desmonta um cenário desses como um passe de mágica e não se consegue restituir o cenário original só porque os palestinos assim o querem. Tivessem avaliado melhor as consequencias de suas opções de guerra contra Israel e isso não estaria sendo discutido.

A partir do século XIX, a palavra holocausto passou a designar grandes catástrofes e massacres, até que após a Segunda Guerra Mundial o termo Holocausto (com inicial maiúscula) passou a ser utilizado especificamente para se referir ao extermínio de milhões de judeus e outros grupos considerados indesejados pelo regime nazista de Adolf Hitler.

Primeiro a ocupação da Cisjordania e Gaza não aconteceram ao acaso, resultaram de combates, de guerras promovidas pelos árabes. Israel não resolveu um belo dia avançar nestas porções de terras por esporte. Muitos padecem de um irrestível viés de varrer para debaixo do tapete parte da história que não lhe convêm evidenciar.

Havia um intenso movimento belicoso por parte do mundo árabe, arredores de Tel-Aviv ficam a menos de 30km dos limites de fronteira com Cisjordânia, canhões jordanianos estavam ali postados e cuspindo bala, óbvio que nos combates Israel buscou afastar esta ameaça, tanto quanto agora se faz imperioso empurrar o Hezbollah para trás do Rio Litani, mas sem ler isso nem pensar nem ao menos buscar informações corretas, a maioria vem dizer que Israel invadiu e ocupou o Líbano. Sempre a mesma ladainha.

Todo mundo sabe que o objetivo do Hezbollah eh ACABAR COM OS JUDEUS.

Pense bem, como seria conviver com um inimigo mortal por mais de meio século dentro de sua casa? Pois essa é a situação atual. E é por isso que judeus e árabes devem viver em casas separadas. Uma para os judeus( o Estado de Israel); outra para os árabes palestinos(o Estado Palestino em Gaza e na Cisjordânia).

Em toda a Eretz Yisrael há mais ou menos 50% de judeus para 50% de árabes. Com as novas fronteiras que Israel possuirá, haverá uma maioria judaica do lado de Israel e uma maioria árabe no lado palestino.

Por que isso nao poderia ser o inicio da paz e cada um viver em 'sua casa'?

A Alemanha Nazista foi para o espaço. Se Israel fosse derrotado em 48 os árabes apenas teriam exterminado com os judeus ajudando Hitler.

HEZBOLLAH - Desde sua fundação em 1982, o Hezbolah tem conduzido uma campanha terrorista com o objetivo de promover a doutrina radical islâmica-xiita, concebida pelo líder espiritual do Irã, Aiatolah Khomeini, morto em 1989. Os princípios básicos dessa doutrina, que refletem a identidade fundamental do Hezbolah como uma organização da jihad xiita, são:

1) a luta consistente e implacável contra Israel até que se consiga a "libertação de Jerusalém" e o aniquilamento de Israel

2) a hostilidade intensa contra os Estados Unidos, junto com o empenho para forçar a presença e influência do Hezbolah no Oriente Médio.

Para atingir esses objetivos, o Hezbolah colocou o uso do terrorismo contra seus inimigos como o ponto mais importante de sua estratégia de conflito assimétrico, sendo a arma do suicídio um de seus principais componentes. Na visão do Hezbolah, os Estados Unidos e Israel não possuem resposta adeqüada contra tal arma.

Apesar de Israel ter cumprido a Resolução 425 do Conselho de Segurança das Nações Unidas e de ter saído do sul do Líbano em junho de 2000, o Hezbolah (com o apoio do Irã e da Síria), tem violado flagrantemente essa resolução continuando a atacar Israel. Seja com atos de terrorismo, incluindo apoio a grupos terroristas palestinos, seqüestro de soldados e civis israelenses, tratamento desumano dado a "desaparecidos em combate", e o bombardeio contra o norte de Israel - o Hezbolah continua a manter a fronteira entre Israel e o Líbano tensa.

O Irã, que se opõe a todos os esforços para se obter a paz com Israel e que tem apoiado o terrorismo para subverter tais esforços, além de querer desenvolver sua própria capacidade de armas não-convencionais, apóia integralmente o Hezbolah. A Síria usa o Hezbolah como instrumento beligerante contra Israel para avançar em seus próprios objetivos estratégicos e políticos contra Israel. A Síria também apóia ativamente as organizações terroristas palestinas como o Hamas e a Jihad Islâmica, e tem em seu território quartéis-generais de organizações terroristas e campos de treinamento na região de Damasco. O Líbano também apóia o Hezbolah, permitindo que o mesmo opere contra Israel a partir de seu território, contradizendo diretamente as leis internacionais.

A preocupação principal de Israel nisso é a sobrevivência, continuar existindo, e quem sabe, ser aceito pelas partes vizinhas a ele (lucrariam todos ali), diante disso, seria mais possível(viável) a criação do Estado Palestino naquela regiao, mas não é algo que só dependa de Israel, porque existe hoje a preocupação sim com o Irã, que possui um Presidente que da uma declaração de que "vai varrer Israel do mapa", é sim pra ser levado a sério, eu não levaria algo do tipo na brincadeira caso o Presidente dos EUA dissesse que iria varrer o Brasil do mapa, duvido algum brasileiro levar uma declaração dessa (suposição só pra ilustrar o problema) na brincadeira, ninguém leva, por mais que possa ser bravata, ou não, e no caso, o Irã está com um programa nuclear em andamento, o que piora ainda mais essa situação diplomática.

Para mim, essa briga na verdade não é de Israel, é a velha briga: fundamentalismo cristão x fundamentalismo islâmico. Israel está no meio de uma briga que não é a dele, não foi provocada por ele. E precisa enfraquecer o Hezbolah para alcancar o cessar fogo.

Quanto ao Hezbollah, já viram o site deles? Sabe qual é o principal 'mártir' que aparece lá? Khomeini.

Essa matéria de um jornal iraniano, olha só quem saiu na foto, e leia a matéria, o Hezbollah é sim financiado pelo Irã e armado pelo mesmo, é por isso o uso da expressão 'braço armado' ou tentáculo do Irã no Líbano, o Hezbollah ideologicamente, militarmente, politicamente, financeiramente falando está completamente afinado com a ditadura de Teerã.


O presidente do Irã, Ahmadinejad, é um dos políticos mais articulados que eu já vi nesses ultimos tempos, professor universitário... tem doutorado, não é como o Bush (que alguns pensavam ser um bossal) o presidente do Irã tem até perfil no Orkut em vários idiomas... comunidade dele (claro que isso e mantido por acessessores dele, talvez os mesmos que mandaram explodir as embaixadas israelitas em Campinas, Sao Paulo, Argentina)... o cara lança a imagem dele na net a toda hora... tem um site em árabe e ingles só dele, onde voce pode até mandar um e-mail para ele... Não se iluda com ele... ele quer poder e vai aproveitar qualquer brecha para isso... Nao gosto das idéias dele, e o pior eh que ele tem a capacidade de se articular politicamente e de ganhar simpatia entre as pessoas...

O jornal que eu coloquei acima é iraniano, não é "sionista" ou ocidental, e tem outros pela rede (não-ocidentais) que narram o mesmo, não há como negar a influência (política, ideológica, militar, financeira) do Irã sobre Hamas e Hezbollah.

Derrotando o terrorismo do Hezbolah


Assim como o Hezbollah repetiu ad nauseaum que havia expulso as tropas israelenses do sul do Líbano em 2000 libertando-o da ocupação sionista, vai encontrar o mesmo tortuoso discurso para vender ao mundo que foi vitorioso nesta guerra, por ter resistido bravamente ao inimigo sionista, algo nessa linha. Pode esperar. E assim vai continuar a receber apoio financeiro e armamento iraniano, etc. alem de contar com apoio de expressiva parcela da população libanesa. Para mim é apenas uma questão de tempo, o assunto não foi resolvido e vai se repetir como desde 2000 Israel sempre recebeu katiushazinhos lançados aqui ou ali, as provocações nunca cessaram.

Ministers vote 24-0 with one abstention

Cease-fire to take effect Monday morning; Olmert says resolution good for Israel, Hizbullah would cease to exist as a state within a state.

Isso mostra que Israel quer obedecer o cessar fogo mas conhece muito melhor o Hezbolah do que a ONU.

Com todas as famigeradas "reações desproporcionais" que Israel sempre comete, mudam os nomes mas temos sempre mais do mesmo, e sempre com o mesmo objetivo: realimentar o conflito, promover das ruinas o desejo de retomar mais ali na frente o mesmo combate insano contra Israel. Imagina se Israel não cometesse as tais "reações desproporcionais" o que seria então!

E o Hezbollah já exportou seu terrorismo para nosso quintal, alguns acham um absurdo defender Israel e fazem esse joguinho de palavras afirmando ser tão absurdo assim, como se fizesse muita diferença os atentados perpetrados pelo Hezbollah terem sido em Buenos Aires ou em São Paulo, para um grupo que tem suas raizes no Oriente Médio.

Muitos precisam aprender a ler e a entender os textos. A verdade está quando eu mostro links e mostrei fotos e noticias.

A historia do terrorismo nao eh tao simples como novela mexicana.

Alias, infelizmente não se ganha guerras contra o terrorismo.

Assim omo não se ganha guerra contra o homicídio, o furto ou o estupro. São problemas inerentes à espécie humana, com mais de 6 mil anos de registros históricos.

O terrorismo não se ganha, se controla, e isso chama-se PRISÃO como fizeram a Sadam! E isso nao acontece. Eh a mesma coisa com os colarinhos brancos no Brasil, descobrem um mas existe uma ninhada, e ainda recebem votos!

Nasrallah é um criminoso. Levou todo um país à guerra (na verdade dois: o Líbano e Israel) sem ter a menor preocupação com os seus compatriotas. Colocou lançadores de mísseis e outros armamentos em zonas densamente povoadas por civis. Atacou Israel com katyushas visando unica e exclusivamente causar o maior número possível de mortos e feridos dentre os civis israelenses.

Mas só não se esqueça que ele é "peixe pequeno". Os "peixões" estão dentro de seus palácios devidamente protegidos em Damasco, Teerã e Moscou, ou seja, a linha do terrorismo. O Ira morre de medo que Israel acerte suas usinas nucleares e destrua sua forca, que, esta so tomando tempo e volume para o proximo ataque. E, quando acontecer, aposto que a Franca vai falar aos 4 cantos que Israel era culpado por isso!

Sejamos justos!! Faz oito anos que o Hezbollah vem atacando o Norte de Israel. Israel se retirou do Líbano e continou a ser atacado. Nem as fazendas de Sheba são desculpas para os ataques do Hezbollah porque elas não são libanesas. O Hezbollah não tinha motivos razoáveis para atacar Israel.

A França também roubou a Alsacia-Lorena da Alemanha, ao final da guerra contra os nazistas.

E os alemães-bomba se explodindo em Paris??

SÍLVIO TENDLER cineasta carioca, é membro dos Amigos Brasileiros do PAZ AGORA - www.pazagora.org

Circulam pela Internet manifestos e manifestações a respeito da guerra no Oriente médio. Nada mais correto. Afinal o papel dos intelectuais é posicionarem-se a respeito das questões que afligem a humanidade. Melhor conviver com artistas e intelectuais que pensam a vida diferentemente de nós do que com massas amorfas que não exprimem pensamentos.

Um manifesto assinado por cineastas israelenses solidários aos cineastas palestinos e libaneses condenando a invasão e o bombardeio do Líbano circulou pelo Brasil angariando apoio de cineastas e intelectuais brasileiros. Nestas horas, quando as emoções nos dominam ( Castro Alves dizia que "o povo é mais sentimento que idéia") é difícil ser clara e racional e qualquer argumentação por mais sensata que seja soa artificial. Mas caminhando na senda dos que ousam marchar contra a corrente exporei meu ponto de vista.

Não assinei o manifesto dos cineastas israelenses embora o entenda porque não vivo baixo a ameaça dos mísseis e dos atentados dos homens bomba que também matam e mutilam civis em Israel. Entendo o manifesto dos colegas israelenses como uma necessária ação anti-governamental. Eles vivem lá, sabem a respeito do que estão escrevendo.

Apoio manifestos que defendam a paz, a democracia, a liberdade, a convivência entre povos. Se me derem um manifesto condenando a invasão do Líbano e também o terrorismo anti-Israel assino agora.

Manifestos que tomam partido de um lado esquecendo que existem vitimas civis dos dois lados, estou fora.

O que está em jogo neste momento é que o mundo fale em alto e bom tom que é a favor de duas pátrias para dois povos respeitando a resolução da ONU que criou o Estado de Israel e previu a criação do Estado Palestino. Qualquer condenação unilateral a Israel acobertará os mísseis entregues pelo Irã ao Hezbollah na sua louca tentativa, como propôs o presidente iraniano de "varrer Israel do mapa". Não o farão com meu silêncio ou conivência.

O Senhor quer o estado de Israel em pe, porque quando este estiver perdendo a batalha na terceira grande guerra, o senhor Jesus Cristo voltara para salvar seu povo.

Você não precisa "amar" Israel... Basta aprender a respeitar.

Israel não aceitará desrespeito à sua soberania e nem agressões aos seus cidadãos.

Os muculmanos radicais mataram mais de 50.000 judeus e cristaos entre 75 e 90. No Ira, a conversao ao Cristianismo eh punida com a pena de morte.

Existe uma indústria cinematográfica fundo de quintal na Palestina chamada Pallywood. Ela forja e produz supostos ataques dos 'covardes' judeus contra os 'coitados' palestinos.


A maior parte da comunidade libanesa nos EUA condena veementemente o hezbollah, e boa parte da comunidade libanesa no Brasil também.

Os judeus podem ter seu estado e os palestinos idem. Mas o Hezbollah sempre atacara Israel. Por que? Fundamentalismo islamico.

Nasrallah afirmou friamente que mandou com orgulho seu filho para Israel... ele se tornou um homem-bomba que destroçou israelenses em um ônibus. Foi uma reportagem muito interessante e impactante apresentada pelo SBT a cerca de 3 anos.

São fanáticos islâmicos como este, juntamente com o Presidente iraniano Mahmoud Ahmadinedjah e seu séquito de aiatolás conservadores que incendeiam o Oriente Médio.

A reação de Israel sempre será desproporcional, por uma questão de sobrevivência: sao apenas 7 milhoes e os arabes, mais de 200 milhoes.

No comments: