March 05, 2010

A Verdadeira Inteligência



Números e testes de Q.I. podem ser importantes para tentar “medir” a inteligência de alguém, em alguns casos imprescindíveis.

Mas a inteligência pode ser definida como a capacidade mental de raciocinar, planejar, resolver problemas, abstrair ideias, compreender ideias e linguagens e aprender.

Embora pessoas leigas geralmente percebam o conceito de inteligência sob um escopo muito maior, na Psicologia, o estudo da inteligência geralmente entende que este conceito não compreende a criatividade, a personalidade, o caráter ou a sabedoria. A esperteza (constantemente confundida com inteligência) pode ser considerada agudeza ou sutileza nas ações. Alguns relacionam o termo à perspicácia, astúcia, manha, ronha. Porém, dizem muitos (existem controvérsias), que dificilmente a esperteza e a inteligência podem ser consideradas sinônimas.

Na sociedade em geral hoje, inteligente é a pessoa que tem bons resultados em testes de Q.I. mas também em testes de Q.E. (Quociente Emocional), ou seja, a melhor palavra para decifrar Inteligência Emocional é Assertividade, ou seja, Autoconhecimento ou Autoconsciência, Autocontrole, Automotivação, Empatia e Sociabilidade.

Infelizmente na sociedade hoje, tem-se um perigo ser inteligente. Quando Winston Churchill, ainda jovem, acabou de pronunciar seu discurso de estréia na Câmara dos Comuns, foi perguntar a um velho parlamentar, amigo de seu pai, o que tinha achado do seu primeiro desempenho naquela assembléia de vedetes políticas.

O velho pôs a mão no ombro de Churchill e disse, em tom paternal: “Meu jovem, você cometeu um grande erro. Foi muito brilhante neste seu primeiro discurso na Casa. Isso é imperdoável! Devia ter começado um pouco mais na sombra. Devia ter gaguejado um pouco. Com a inteligência que demonstrou hoje, deve ter conquistado, no mínimo, uns trinta inimigos. O talento assusta”.

Ali estava uma das melhores lições de abismo que um velho sábio pôde dar ao pupilo que se iniciava em uma carreira difícil. Isso, na Inglaterra. Imaginem aí, no Brasil.


Não é demais lembrar a infelizmente famosa trova de Ruy Barbosa:

“Há tantos burros mandando
em homens de inteligência,
que, às vezes, fico pensando
que a burrice é uma Ciência”.

A maior parte das pessoas encasteladas em posições de destaque por exemplo é medíocre e tem um indisfarçável medo da inteligência.

Temos de admitir que, de um modo geral, os medíocres são mais obstinados na conquista de posições. Sabem ocupar os espaços vazios deixados pelos talentosos displicentes que não revelam o apetite do poder.

Mas, é preciso considerar que esses medíocres ladinos, oportunistas e ambiciosos, têm o hábito de salvaguardar suas posições conquistadas com verdadeiras muralhas de granito por onde talentosos não conseguem passar.

Em todas as áreas encontramos dessas fortalezas estabelecidas, as “panelinhas do arrivismo”, inexpugnáveis às legiões dos lúcidos, principalmente nas empresas.

Dentro desse raciocínio, que poderia ser uma extensão do “Elogio da Loucura”, de Erasmo de Rotterdam, somos forçados a admitir que uma pessoa precisa fingir de burra se quiser vencer na vida. É pecado fazer sombra a alguém até numa conversa social.

Assim como um grupo de senhoras burguesas bem casadas boicota, automaticamente, a entrada de uma jovem mulher bonita no seu círculo de convivência, por medo de perder seus maridos, também os encastelados medíocres se fecham como ostras, à simples aparição de um talentoso jovem que os possa ameaçar.

Eles conhecem bem suas limitações, sabem como lhes custa desempenhar tarefas que os mais dotados realizam com uma perna nas costas.

Enfim, na medida em que admiram a facilidade com que os mais lúcidos resolvem problemas, os medíocres os repudiam para se defender. É um paradoxo angustiante! Podemos ver isto acontecer muito comumente em debates de grupos e comunidades em sites de relacionamentos, por exemplo.

Infelizmente, temos de viver segundo essas regras absurdas que transformam a inteligência numa espécie de desvantagem perante a vida. Mas que não deveria ser. Muito pelo contrário, deveríamos é abrir espaço para os mais talentosos para que pudéssemos aprender com eles e elevar o nosso próprio nível de equilíbrio perante a vida.


Infelizmente, no Brasil ainda vale-se da máxima de Nelson Rodrigues (que até é considerado inteligente pela maioria): “Finge-te de idiota, e terás o céu e a terra”.

Trazendo estes pensamentos para o círculo entre ateus e religiosos, religião ainda é a fonte de mais alta comprovação em ajudar a pessoa a obter Inteligência Emocional, enquanto ser ateu preocupa-se mais em ter conhecimento secular, principalmente àqueles que não têm outro meio de buscar o auto-conhecimento.

Na verdade, cada um procura o que se identifica melhor, alguns livros de auto-ajuda ou meditação, outros uma filosofia de vida, ou mesmo apenas o estudo da filosofia, outros uma religião que sintam-se mais completos.

O equilíbrio entre um e outro é que trará felicidade para o indivíduo, independente de religião ou crença.

Dia desses um amigo me perguntou:

"Arrepender-se é questão de inteligência. E Lúcifer é inteligente (há quem diga que não é, e que só o que é é esperto, mas enfim). Então por que permanece fazendo o que faz se não há inteligência nisso?"

Lúcifer até podia ser inteligente, mas não era mais inteligente que o Pai, e queria ter a mesma glória que Ele, mas de forma fácil e do jeito que queria. E aí voltamos aos medíocres que povoam a maioria das empresas que temos hoje em dia, e ainda levam pelo menos um terço de brown noses com eles.

Satanás não era somente inteligente. As escrituras dizem que ele era 'the most beautiful and intelligent of all creatures of God'.


Marilyn Monroe também era bonita. Elis Regina era super talentosa. Elvis era bonito, talentoso e inteligente.

E todos os três, assim como milhares de outros, destruíram a si mesmos.

Ezequiel 28:17 diz que Satanás 'fell in love with himself'e que ele 'Your heart was lifted up because of your beauty; you corrupted your wisdom for the sake of your splendor'. 1 Timoteo 3:6 diz que seu nome significa Orgulho, o grande Eu.

1 Timoteo 3:6 diz 'not a novice, lest being puffed up with pride he fall into the same condemnation as the devil'.

Eu aprendi que inteligência é a habilidade de aprender.

Sabedoria é saber o que fazer com o que se aprende.

Da mesma forma vemos alguns que são inteligentes, e outros que são sábios pois colocam em prática o que aprendem.

Satanás podia ser inteligente, mas como a escritura diz, por causa de seu orgulho, já não era sábio.

Em Ezequiel 28 é claro que o orgulho de Satanás corrompeu sua sabedoria com a qual o Senhor o havia  abençoado.

E eu posso dizer por experiência profissional, que orgulho causa desordem mental, por isso orgulho pode e
leva geralmente pessoas ao desespero, auto destruição, ou coisa ainda pior.

Mera coincidência com os medíocres que nos deparamos todos os dias e que se acham inteligentes?

Eu já disse antes e repito: Sindrome de Lúcifer.

A hipocrisia consiste no abandono total de qualquer quociente de inteligência, mesmo o secular ou o emocional, sem descartar qualquer possibilidade de um ou outro.
 
Aquele que consegue manter seu nível de Q.I. e elevar seu Q.E. diariamente, estando aberto para o conhecimento, seja secular ou religioso, e aplicando o que aprende, adquirindo sabedoria profissional, pessoal, física e psicológica em sua vida, este é o verdadeiro Inteligente.

5 comments:

Hallison Liberato said...

Parabéns Chris,
Como sempre com uma lucidez ímpar!

Não tenho nada a acrescentar por ter considerado perfeito o que escreveu.

Chris Ayres said...

Obrigada Hallison. Acabei eu mesma incrementando com alguns detalhes.

Eliude A. Santos said...

E o que assusta é que essa mediocridade se impõe de tal forma que mina o desenvolvimento da sabedoria.

Ana Paula said...

Chris muito sábio tudo o que escreveu. Realmente de que adianta aprendermos e não usarmos,ou não saber usar. Gosto muito do Q.E., é muito importante para todos nós. A maior sabedoria está em conhecer a si mesmo, e saber controlar nossas ações para nosso benefício e do próximo. Vejo muitos na internet se chamando inteligente quando não sabem nem o básico, que sempre temos algo a aprender e que não somos donos da verdade e nem tão pouco sabemos tudo. E com pequenos atos podemos tirar uma grande lição. beijos

Anonymous said...

This is a very good article. Pride does in fact cloud all judgement. Just like the Goose that laid the Golden egg story. Pride got in the way and the man killed the goose thinking he could get ALL the golden eggs at once. So it is with use and life we must listen, watch and pray. Greed destories wisdom as does pride. Like the Roman Empire, Pride goeth before the fall. Great inspiration and thought in this article.