October 05, 2009

Mulheres: Maternidade X Profissão.

"Be it unto Me" by Liz Lemon

Em nosso dia a dia, eh quase impossivel que nos dediquemos somente a Maternidade quando esta bnos presenteia. Posso afirmar que hoje em dia, isso não é nem uma realidade americana mais. A necessidade do trabalho é real e presente em qualquer lugar.


A mulher tem que ir atrás de realização pessoal sim, mas é essencial que nesta busca esteja incluída principalmente o maior chamado dela que é Ser Mãe.

Hoje com meu filho sendo ja um adolescente vejo quão necessária é minha presença perto. Quantas coisas deixei de ensiná-lo, quanto tempo deixei de dedicar a ele devido a ter sempre um trabalho massificante e a ser uma grande workaholic.

Com um trabalho integral, não sobrava energia pra ensinar o que ele precisa, da forma que ele precisa, chegava em casa e ainda tinha que cozinhar, isso e aquilo e estamos quebradas. O que acontece? Os filhos vão para a tv, vídeo game e quando vemos, eles já cresceram e algumas coisas não podemos começar tão tarde.

Se a mulher puder ficar e cuidar de seus próprios filhos será sim um grande diferencial na vida deles. Se precisar trabalhar e puder ser somente meio período ainda é bom. Se precisar trabalhar período integral, que o tempo em família seja gratificante, frutífero e de valor. Se encontrar algo que possa fazer enquanto as criancas estao na escola, ou a partir de casa, ainda melhor. E que a busca da realização pessoal não massacre o papel de mãe, que absolutamente ninguém substitue.

E cuidar de si mesma inclue se fazer algo que gosta. Mães felizes criam filhos seguros.

O discurso de Elder Ballard, na Conferencia de Abril de 2008, na sessao de domingo a tarde foi perfeito e explica isso bem. Aqui o link em ingles:

http://lds.org/conference/talk/display/0,5232,23-1-851-37,00.html

E o em portugues:

http://www.lds.org/conference/talk/display/0,5232,89-2-858-37,00.html

Acredito que as maes teriam que ficar em casa nos primeiros anos do bebe. Mas o principal periodo quando os filhos precisam mais ainda da Mae em casa eh quando se tornam adolescentes. Ou pre-adolescentes.


Eu tambem concordo que ha a necessidade da mae trabalhar ate para ajudar na educacao dos proprios filhos, etc. Eu trabalho justamente por isso, para que meu filho possa ter todas as oportunidades que eu tive e muito mais, e tambem porque nossa familia merece uma casa propria, e a prestacao eh mais que aluguel, porque temos direito a algumas coisas que tornam nossa vida mais facil e dai sobra ate mais tempo para termos momentos em familia.

Ja vi muitas vezes a mulher trabalhando muito mais do que os homens, ou trabalhando em cargos que seriam tao pesados que somente homens o fariam.

Agora, na sociedade de hoje vemos os chamados " Mutantes" que sao os homens que assumem o papel de cuidar dos filhos enquanto a mulher trabalha.

Eu ja nao sei se isso funcionaria bem. A nao ser que fosse por consenso mutuo do casal. Mas a Proclamacao ao Mundo eh clara.
 
Muitas mulheres entram em depressao por serem comparadas ao que ouvimos na midia, as outras mulheres que tem carreira profissao, entao a condicao de 'mom at home' fica desvalorizada.


Em Utah eh o contrario. Como a maioria das mulheres fica em casa cuidando dos filhos, as que exercem uma profissao sao vistas muitas vezes com certo 'canto de olho' .

O que mais vejo pelos Estados Unidos em geral, mesmo as nao membros da Igreja, eh que as mulheres se casam muito depois que ja sao formadas numa Universidade e trabalham, quando vem os filhos, elas acompanham seu crescimento ate uma certa idade, depois voltam ao mercado de trabalho, primeiramente em meio periodo, depois em periodo integral.

Eh muito comum vermos por ai, que se se tem problemas com as criancas, filhos rebeldes, a primeira culpada eh a mae que trabalha, se nao acompanhou o crescimento de seus filhos.

Falando por mim mesma, sempre tive uma carreira, sempre cuidei do filho, sempre fui responsavel com todas as minhas obrigacoes na Igreja, na familia, na profissao, e pessoalmente. Com a idade chegando, nao ha meios de ser uma super mulher todo o tempo o tempo todo.

Algo tem de diminuir o ritmo. E estabelecer prioridades, que sao sim a familia, os filhos, e si mesma e sua saude. A Igreja ajuda a encher o nosso vaso interior, de modo que dai temos seguranca pessoal e forca para fazer todas as outras coisas.

Mas isso funciona quando o marido apoia a decisao da mulher. E quantas maes solteiras, divorciadas existem sem esse apoio?
 
Eu acredito que dar o tempo necessario ao que eh prioridade na vida eh o que faz sentido.

Estudar eh primordial. Ate para se ter um melhor casamento, familia e mesmo educar os filhos.

Trabalhar eh necessario, mais que prioridade.

Quando os filhos sao pequenos, a decisao de ficar com os filhos eh prioridade, ate que se encaminhem e estejam mais engajados nos estudos.

A mulher tem que focar sempre (nao somente a mulher, mas todos) nas prioridades de seus papeis na vida, carreira, filha, irma, mae, esposa, membro da Igreja, da sociedade.

Da sim pra ser otima em tudo. Com moderacao. Nao pra fazer bonito para os outros, mas para cumprir sua missao como Filha e buscar a vida eterna.
 
Eh preciso tomar cuidado porem em nao tentar ser uma Mulher Maravilha. Quando exigimos demais de nos mesmas, eh quando nos tornamos perfeccionistas, e pessoas perfeccionistas tem mais chances de terem depressao em alguma parte do caminho.
 
"Acredito sinceramente que vocês são instrumentos nas mãos de Deus nos muitos papéis que desempenham, especialmente no da maternidade. (1 Timóteo 2:15). Deus incube as mulheres de terem e criarem os filhos Dele. NENHUM OUTRO TRABALHO É MAIS IMPORTANTE. A maternidade é um papel de grande importância para as mulheres".
(James E. Faust, Liahona Novembro 2005, p.114).




"Muitas de vocês são mães. Vocês têm a responsabilidade de cuidar de seus filhos e educá-los. Quando ficarem mais velhas, e seus cabelos pratearem, a pergunta que farão a si mesmas não será como eram as roupas finas que um dia usaram os carros que dirigiram ou a casa enorme que moraram. Sua pergunta abrasadora será: “Como meus filhos se saíram?”. Se eles tiverem-se saído bem, vocês se sentirão gratas; se não, não haverá muito consolo para vocês".
(Gordon B. Hinckley, Reunião Geral da Sociedade de Socorro, 23 de Setembro de 2006, p.115, Liahona Novembro de 2006).

Agora, por experiencia propria posso dizer que me aperfeicoo mais como mae, quando estou em casa, quando posso cuidar de meu filho, quando posso acompanhar seu desenvolvimento na escola, na vida. E como ele tem evoluido tendo-me mais proxima.

No comments: