September 17, 2009

Machismo x Feminismo

Ser feminista é tão ridiculo quanto ser machista.
Tem uma citação que traduz o que eu penso:
"O Mundo já tem muitas mulheres agressivas, precisamos de mulheres ternas.
Há muitas mulheres ríspidas, precisamos de mulheres refinadas.
Existem muitas mulheres que têm fama e fortuna, precisamos de mulheres de fé.
Já existe ambição bastante, precisamos de mais bondade.
Existe orgulho suficiente, precisamos de mais virtude.
Já temos popularidade demais, precisamos de mais pureza."
(Margaret D. Nadauld - Presidente Geral das Mocas em torno de 1997)

Em relacao ao machismo, temos alguns artigos interessantes:
Sobre abuso no casamento (seja por parte do marido ou da esposa):
Como ser um pai e marido em retidão:
E também como ser feliz na condição de mulher dentro do evangelho:
Tenho certeza que o Senhor exigirá prestação de contas de todas as partes envolvidas, e não entendo a citação como o homem “sustentar” a mulher, e sim, incentivá-la a realizar-se como pessoa, seus sonhos e ideais realizados.
Em relação à questão da mulher “se virar” acredito que toda mulher sabe se virar muito bem sozinha, aliás, muito melhor que um homem. A mulher constitue uma família especialmente para fazer os outros felizes e seguir um plano de vida. Geralmente esquece-se de si mesma e nunca pensa somente em si própria. Isto chamo de 'instinto maternal' que toda mulher nasce com.
A realização para uma mulher cristã, seguidora de Cristo (entenda-se ativa e exemplar) INCLUE fazer os outros felizes e ter uma família saudável. Vejo muito mais homens dependentes das mulheres como esposas, mães, donas de casas, cozinheiras, lavadeiras, e tudo mais, do que homens que se predispõe a deixar seus gostos de lado em prol da família, dando a importância que o Senhor quer a esta.
Alguns dizem: "É obrigação da mulher criar os filhos, então ela mesma é culpada dos filhos homens se tornarem machistas."
Acho que esta afirmação sim é completamente machista. É obrigação de ambos, pai e mãe, educarem seus filhos para a vida.
É comprovado que crianças que crescem com a mãe em casa full ou part time até sua adolescência se desenvolvem muito mais do que com baby sitters, escolinhas e parentes. Inclusive, a inteligência emocional que o adulto terá depois, o ‘sentir-se seguro’ e auto-confiante na vida está quase que diretamente relacionado, se a mãe sentir prazer em fazê-lo. Mas isto a mulher precisa fazer de boa vontade.
O machismo é universal.
Mulheres divorciadas, sozinhas, feministas, que querem arcar com tudo, levando o mundo nas costas e cantando vitória , ah eu era assim... que bobagem... a verdade é que as mulheres casadas tem mais respeito, a humanidade é assim... A humanidade é machista. Um dos únicos lugares que ainda respeitam uma mulher forte, auto-suficiente e sozinha é justamente a Igreja.
Ninguém precisa estar ou ser sozinho, isso é ser ermitão e teimoso.
Se alguns não acreditam e colocam em dúvida palavras de profetas, escrituras, conhecimento e mesmo escrituras, pelo menos temos que respeitar a opção das pessoas, de quererem estar ou não dentro de um casamento, que aliás, para se ter um que funcione em tudo, leva tempo e exige-se responsabilidade e boa vontade de todas as partes envolvidas.
Quando nos casamos jovens, casamos com a ilusão do quê o casamento seja. A vida e o tempo nos traz a razão. Admiro aqueles casais que a encontram humildemente e juntamente aparam suas arestas.
Concordo que algumas mulheres precisam entender que casamento não é profissão, especialmente as muito jovens o vêem como contos de fadas, muitas mulheres (dificilmente homens) se anulam e depois de muito tempo descobrem que deveriam ter mantido sua individualidade, pois no final das contas, nada sobra quando os filhos crescem e a rotina vêm.
A felicidade começa dentro de você mesmo, você não pode responsabilizar alguém por isto, mas uma relação profunda de autoconhecimento com nosso eu interior nos faz satisfeitos e felizes com nossa própria companhia. E assim, as relações amorosas, de amizade, familiares ou profissionais serão mais completas e recíprocas.
Não é questão de ‘não ter que fazer o outro feliz’. Casamento é uma troca, não uma competição. Fazer pessoas felizes irradiando a felicidade que está dentro de você faz parte do segredo da perfeição: Escolher suas ações e não delinear reações.
Para muitos homens, existe a necessidade de ter a adoração da esposa e mantê-la num nível abaixo. Isso é cômodo para ELE, afinal, são muito poucos os homens que aceitam que a mulher possa ter sucesso na carreira mais do que ele, que ela estude mais do que ele, que ela ganhe mais do que ele, e ainda assim, seja uma boa mãe, filha, cunhada, nora e tenha a admiração de todos na comunidade, mesmo nos chamados da Igreja, sem que isso gere algum tipo de concorrência, depressão ou mesmo acomodamento.
Ser perfeito sozinho, amar a si próprio, ter auto-estima, cumprindo todos os mandamentos e convênios, sendo fiel a seus princípios e ideais de vida, atingindo o topo na carreira e nas inteligências emocional e espiritual é relativamente fácil e possível. Concentrar todas suas energias no seu desenvolvimento geral como pessoa é simples.
Sabemos se estamos observando os ensinos de Cristo através da consciência de nosso fracasso em atingir a perfeição ideal. O quanto nos aproximamos dessa perfeição não é mensurável; tudo o que podemos ver é o tamanho de nosso desvio.
Um homem que professa uma lei exterior é como alguém que está diante da luz de uma lanterna pendurada num poste. Há luz em toda a sua volta, mas ele não pode ir a lugar algum.
Um homem que humildemente professa os ensinos de Cristo é como alguém que carrega uma lanterna diante de si. Em um poste longo, ou mesmo não tão longo: a luz está sempre adiante dele, sempre iluminando lugares novos e sempre encorajando-o a ir mais além.
O desafio está justamente em conseguir toda esta perfeição em família, dividindo o tempo que gastaria somente melhorando a si mesmo no esforço mútuo, no doar-se ao marido/ esposa, no compartilhamento de ensinamentos com crianças, perpetuando o amor dual e aprendido.
É usar duas lanternas, e assim ter mais luz e iluminar o caminho daqueles que os seguem também.
Daí o Reino Celestial, e as maiores bênçãos para aqueles que aceitam, não desistem e dão o melhor de si e em conjunto neste desafio, pois o Senhor Jesus Cristo fará o restante.
Cada qual assumir seu papel nao eh Dependencia Emocional!
A dependência emocional mostra uma pessoa fragilizada, fraca e carente, que pode causar muitos desequilíbrios em qualquer tipo de relacionamento.
Dificilmente uma relação verdadeira e autêntica suporta isso por muito tempo. Qualquer relação deve ser baseada em trocas equivalentes e supõe pessoas inteiras.
Depender do outro significa alimentar a intenção de renunciar aos próprios desejos, transferindo o encargo do bem-estar físico, mental e emocional. Significa deixar de ter vontades para subordinar-se às vontades de alguém. As pessoas dependentes tendem a se acomodar e se isentam de quaisquer responsabilidades.
A Dependência Emocional é mantida pela Manipulação, seja financeira, carência, insegurança, enfim, muitas vezes é a causadora até da idolatria, seja esta ao dinheiro, ao marido, à religião, a um objeto.
Há muita vida quando a pessoa se descobre após anos de dependência emocional. E daí um melhor relacionamento com Deus e o entendimento de Seus intentos, sentir-se feliz consigo mesmo e porque não trabalhar para o bem estar do seu próximo, não só recebendo, que é o primeiro estado daqueles que querem se livrar da dependência emocional, mas doando, sem medo de se arriscar e viver o que a vida traz de melhor que são justamente os relacionamentos.
Após vencer esse capítulo, a pessoa independente emocionalmente consegue um relacionamento mais profundo com Deus, um amor saudável por si mesmo, tem liberdade para amar ao próximo e liberdade para ministrar ao próximo. De livre e espontânea vontade.

No comments: